Parceiros

Entidade Coordenadora

INIAV - Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I. P.

O Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, I. P. (INIAV) é o Laboratório de Estado do Ministério da Agricultura, Florestas e Desenvolvimento Rural, que desenvolve atividades de investigação nas áreas agronómica e veterinária. Tem por missão a concretização da política científica e a realização de investigação de suporte a políticas públicas, na defesa dos interesses nacionais e na prossecução e aprofundamento de políticas comuns da União Europeia. Adicionalmente, o INIAV presta serviços laboratoriais e apoio técnico e científico a agricultores e indústria, tendo os Laboratórios de Referência Nacionais em Saúde Animal, Sanidade Vegetal e Segurança dos Alimentos e Alimentos para Animais. São da responsabilidade do INIAV a conservação e manutenção das coleções de germoplasma vegetal, animal e coleções nacionais de referência.

Competem ao INIAV, sumária e nomeadamente, as seguintes atribuições:

– Desenvolver as bases científicas e tecnológicas de apoio à definição de políticas públicas sectoriais;

– Promover as atividades de investigação, experimentação e demonstração, na linha das políticas públicas definidas para os respetivos sectores, que assegurem o apoio técnico e científico conducentes ao desenvolvimento e inovação e melhoria da competitividade, nas áreas agro-florestal, da proteção das culturas, da produção alimentar, da sanidade animal, da segurança alimentar, bem como na área das tecnologias alimentares e da biotecnologia com aplicação nas referidas áreas;

– Assegurar as funções de Laboratório Nacional de Referência, nomeadamente, nas áreas da segurança alimentar, da saúde animal e da sanidade e proteção vegetal;

– Cooperar com instituições científicas e tecnológicas afins, nacionais ou estrangeiras, e participar em atividades de ciência e tecnologia.

As atividades do INIAV são diferentes e fundamentais ao País nas seguintes áreas: segurança alimentar, sanidade vegetal, saúde animal e recursos genéticos (preservação e conservação).

www.iniav.pt

ACHAR – Associação dos Agricultores de Charneca

A ACHAR – ASSOCIAÇÃO DOS AGRICULTORES DE CHARNECA, constituída em 1989, tem por objectivos promover o desenvolvimento agro-silvo-pastoril na área da Charneca, defender os interesses dos agricultores e representá-los regionalmente. Incrementar em geral o desenvolvimento rural, a defesa do ambiente, a racional gestão dos recursos naturais e em especial assegurar a prossecução dos interesses dos seus associados mediante a gestão conjunta das áreas florestais.

A vasta área de intervenção da associação, abrange os concelhos de Almeirim, Alpiarça, Chamusca e limítrofes, ocupando cerca de 100 000 hectares do território nacional.

A área de Charneca da região está bem representada pelos associados da ACHAR, mais de uma centena e meia de associados ocupam aproximadamente 50 000 hectares.

http://www.achar.pt

ADPM - Associação de Defesa do Património de Mértola

MISSÃO

A ADPM – Associação de Defesa do Património de Mértola foi fundada em 1980, com o objectivo de contribuir de forma activa para o desenvolvimento harmonioso do concelho de Mértola, sustentado na conservação, dinamização e valorização dos recursos locais, privilegiando o envolvimento da população local no processo de melhoria das condições e da qualidade de vida das comunidades.

A missão da ADPM prende-se fundamentalmente com o desenvolvimento económico, social e cultural dos territórios onde intervém, partilhando estrategicamente com entidades públicas e privadas, mas igualmente com os cidadãos, a responsabilidade de participação activa nas dinâmicas dos seus próprios processos de desenvolvimento local. Aprofundando o seu papel no desenvolvimento local do concelho de Mértola, a ADPM tem vindo a alargar o âmbito temático e geográ­fico das suas áreas de intervenção. Os projectos que desenvolve individualmente ou em parceria, em Portugal e noutros países, con­figuram à ADPM uma dimensão transnacional, facto que mais lhe enriquece a experiência local. Numa lógica de “Pensar Global – Agir Local”, entendemos a multiculturalidade e a diversidade como bases para o desenvolvimento dos povos.

OBJECTIVOS

Integrado num trabalho de desenvolvimento em curso desde os anos 70 e numa estratégia mais alargada de intervenção, protagonizada por diversas entidades locais, com vista à reconversão do mundo rural a partir do aproveitamento e rentabilização das potencialidades locais, a ADPM concentrou e concentra os seus esforços, fundamentalmente na prossecução dos seguintes objectivos:

  • Conciliação entre a conservação dos recursos naturais e o desenvolvimento socioeconómico, como estratégia para o futuro sustentável das áreas rurais;
  • Promoção da educação ambiental como um meio privilegiado de educar as populações locais;
  • Implementação de um processo de desenvolvimento integrado que envolva diferentes agentes públicos e privados, individuais e colectivos;
  • Valorização dos recursos humanos locais e incentivação da constituição de um tecido económico diversi­ficado e empreendedor;
  • Promoção da inclusão social e a colmatação das necessidades sentidas pela população;
  • Cooperação em países em vias de desenvolvimento;
  • Promoção do desenvolvimento local;

Promoção de projectos culturais e lúdicos em territórios de baixa densidade.

http://www.adpm.pt

AFLOSOR

A AFLOSOR – Associação dos Produtores Agro-Florestais da Região de Ponte de Sôr, é uma entidade de direito privado e foi constituída a 27 de Fevereiro de 1989, tendo como grandes objetivos a defesa dos interesses dos produtores florestais e o desenvolvimento de ações visando a valorização das florestas. Representa atualmente 103 associados e cerca de 55 000 ha nos concelhos de Ponte de Sôr, Avis, Mora, Gavião, Alter do Chão e Concelhos Limítrofes. Relativamente à área associada, esta é maioritariamente ocupada por montado de sobro, surgindo também, com frequência, o eucaliptal, os pinhais bravo e manso e algum montado de azinho.

Atividades desenvolvidas e prestação de serviços

  • Defesa e representação dos produtores agro-florestais;
  • Apoio técnico agrícola e florestal dos nossos associados;
  • Recolha e divulgação de informação agrícola e florestal e seu enquadramento legal;
  • Integração em candidaturas em parceria aos Grupos Operacionais (Ação 1.0.0 PDR 2020) totalizando 4 candidaturas, todas relacionadas com investigação e procura de respostas para problemas claramente identificados, como sejam a praga do Platypus, parceria em que somos entidade líder.
  • Realização de colóquios e reuniões técnicas sobre temas agro-florestais da actualidade relacionados com a região.

ÁREA AGRÍCOLA

  • Elaboração de candidatura Pedidos Únicos;
  • Assistência Técnica aos Modos de Produção (MPB e PRODI);
  • Sala da parcelário;
  • Elaboração e acompanhamento de projetos agrícolas;
  • Levantamento de amostras de solo, foliares e água;
  • Entidade reconhecida em parceria com a CAP para implementação do sistema de aconselhamento agrícola na região.

ÁREA FLORESTAL

  • Elaboração de planos de gestão florestal (PGFs);
  • Elaboração e acompanhamento de projetos florestais;
  • Certificação Florestal FSC – Grupo AFLOCERT;
  • Avaliação de material lenhoso;
  • Promoção de um sistema integrado de vigilância, localização e primeira intervenção em fogos florestais;
  • Levantamentos com GPS e incorporação de informação digital para produção de todo o tipo de cartografia temática.
  • Fomento de agrupamento de produtores: comercialização da pinha; criação de ZIF’s

FORMAÇÃO PROFISSIONAL

  • Acreditação para formação sectorial
  • Candidatura à Formação-Ação para PME’s aprovada para os temas Gestão Agrícola e Certificação da Gestão Florestal Sustentável
  • Em fase de candidatura à DGERT para certificação de Entidade Formadora para as áreas agrícola, florestal e informática na ótica do utilizador

aflosor@sapo.pt

ANSUB – Associação dos Produtores Florestais do Vale do Sado

Missão

Defender e promover um Mundo Rural visto de uma perspectiva horizontal, integrando todas as actividades económicas nele presentes, com especial enfoque na floresta, tendo em vista assegurar a sua sustentabilidade, económica, social e ambiental, considerando as melhores técnicas disponíveis e, ainda, a conjuntura imposta pelas políticas agrícolas.

Enquadramento Histórico e Representatividade

A ANSUB iniciou a sua actividade em 1994 como entidade agregadora dum conjunto de produtores florestais de Alcácer do Sal, de Grândola e de Santiago do Cacém.
Como preocupações originais predominavam, naturalmente, a promoção duma maior transparência e funcionamento do mercado da cortiça, a difusão das boas práticas agro-florestais e o correcto aproveitamento das oportunidades surgidas com os Quadros Comunitários de Apoio e o seu impacto na modernização do tecido produtivo regional.

Assim, de um núcleo fundador de uma dezena de Associados, a ANSUB representa hoje directamente perto de 2 centenas de Associados, representando muitas mais explorações e uma área florestal de cerca de duas centenas de milhares de hectares.
Contando de início apenas com a disponibilidade da sua Direcção, a ANSUB caminha hoje para uma crescente profissionalização do seu Quadro de colaboradores, dispondo de importantes meios humanos e técnicos que permitem uma resposta que se pretende cada vez mais eficaz às crescentes solicitações dos Associados.
Com melhores meios, com maior representação e com um já expressivo repositório de conhecimentos e experiência, volvidos os seus primeiros vinte e um anos de atividade, a ANSUB está hoje em melhor situação para desempenhar a sua Missão, ou seja pugnar pelo desenvolvimento florestal do Litoral Alentejano

Serviços Prestados

1- Diagnósticos e estudos estratégicos das explorações

– Levantamentos e caracterização;
– Diagnósticos estratégicos;
– Estudos de Ordenamento;
– Desenvolvimento e planificação de actividades;
– Avaliações de propriedades;
– Sistemas de informação geográfica;
– Planos de Gestão Florestal;
– Certificação Florestal – Gestão do grupo de certificação CertiSado com cerca de 18.630 ha certificados;
– Inventário Florestal.

2 – Incentivos ao investimento nas explorações
– Formalização e Acompanhamento administrativo das candidaturas;
– Acompanhamento da Execução dos Projectos.

3 – Valorização da produção florestal

– Amostragem da qualidade e humidade da Cortiça;
– Avaliação dos volumes de madeira em pé;
– Transformação de Pinha em Pinhão Negro;
– Divulgação das cotações dos produtos florestais;
– Informação/contacto de produtores com o sector transformador;
– Divulgação e promoção de complementaridades (caça, cogumelos e plantas aromáticas).

4 – Apoio técnico aos produtores

– Visitas às explorações;
– Elaboração de Pareceres Técnicos;
– Divulgação de Novas técnicas e procedimentos;
– Divulgação de boas práticas;
– Formação profissional;
– Informações e Serviços relativos à Floresta.

http://www.ansub.pt

 

Proprietários

Área Piloto

Companhia das Lezírias, S.A

A Companhia das Lezírias, S.A., sociedade anónima cujo acionista único é o Estado, é proprietária de 17.952 hectares, património constituído por dois núcleos, o núcleo de Samora Correia e o núcleo de Vila Franca de Xira. O núcleo de Samora é constituído pela Charneca do Infantado, concelho de Benavente e freguesia de Samora Correia, propriedade predominantemente florestal mas na qual se desenvolvem outras atividades agrícolas, pecuárias e turísticas e que possui 10.983 hectares, dos quais 6.700 ha são ocupados por formações dominadas por sobreiro.

http://www.cl.pt/

Área Piloto

EDIA - Empresa de Desenvolvimento e Infra-estruturas do Alqueva, S.A.

A EDIA adquiriu a Herdade da Coitadinha/Parque de Natureza de Noudar em 1997, como medida de compensação ambiental pela construção da Barragem do Alqueva.

A EDIA, é a entidade responsável pela gestão do Empreendimento de Fins Múltiplos de Alqueva, que compreende um conjunto de projetos estruturantes para o desenvolvimento do Alentejo.

No âmbito da gestão da Herdade da Coitadinha (HC), a EDIA dedica especial atenção à floresta, nomeadamente à azinheira, que, na HC, ocupa uma área aproximada de 500 ha, sobre a forma de montado e de bosque de azinho (azinhal).

A EDIA envolveu-se no projeto OakRegeneration porque, sendo o montado a principal componente da paisagem do Parque de Natureza de Noudar (PNN), importa preservá-lo, fomentá-lo e expandi-lo sendo a propagação da regeneração natural um dos mecanismos que mais importa promover.

O PNN encontra-se integrado na Rede Natura 2000 – Zona Proteção Especial (ZPE) Moura-Mourão-Barrancos pelo que o projeto se desenvolve numa área de elevado interesse natural, com habitats de elevado valor conservacionista para a preservação da biodiversidade.

A implantação deste projeto, e a sua execução no terreno, será um auxílio na promoção da azinheira, permitindo encarar o futuro do montado de um modo mais otimista.

http://www.parquenoudar.com/

Outros Proprietários

Herdade do Paúl

A Herdade do Paúl situa-se na freguesia de Montargil, concelho de Ponte de Sor.

O clima local apresenta características mediterrânicas amenizadas pela proximidade do oceano e os solos são maioritariamente formações sedimentares com origem nos períodos geológicos do miocénico e do pliocénico.

Com uma área de 864 ha, a Herdade do Paúl é uma propriedade com marcada vocação florestal, ocupando os povoamentos de sobreiro 631 ha (73% da área total) e os povoamentos de eucalipto 108 ha (12 % da área total).

São objectivos gerais da gestão a longo prazo:

  • A manutenção/valorização da actividade florestal, dando particular atenção aos povoamentos de sobreiro e à produção de cortiça de qualidade superior numa perspectiva de continuidade;
  • A conjugação da actividade florestal com outras actividades subordinadas – agrícola, pecuária, cinegética ou outras – propiciadoras de rendimentos anuais;
  • A presença humana permanente na área urbana da Herdade do Paúl.

Para que a economia possa ser estável e as actividades sustentáveis, a gestão de curto-prazo, ainda que atenta à envolvente, deve ser consistente com os objectivos gerais delineados.

Anta de Cima – Sociedade Agrícola Unipessoal, Lda.
antadecima@gmail.com

Carlos Frederico Abecassis do Amaral Netto
carlosamaralnetto@gmail.com

César Sacadura Mexia de Almeida
cesarsmalmeida@gmail.com

Pedro Sacadura Teixeira Cabral Duarte da Silveira
pcsilveira@hotmail.com

Sociedade Agrícola do Casal das Pombas
joaofonseca@loagoalva.pt